Comando Condicional Simples – Show Delphi

DICAS

Visite a biblioteca de dicas da comunidade.

Saiba mais

ARTIGOS

Abordagens detalhadas sobre assuntos diversos.

Saiba mais

INICIANTES

Aprenda a programar de um modo simples e fácil.

Saiba mais

DOWNLOADS

Acesse os materiais exclusivos aos membros.

Saiba mais
voltar

PARA QUEM GOSTA DE DELPHI

Comando Condicional Simples

 

Regra geral em algoritmo:

comando; / inicio <comandos;> fim
senão
comando; / inicio <comandos;> fim

O comando condicional simples (Se … Então [Senão]), tem por finalidade avaliar uma condição
(simples ou composta) e decidir se os comandos serão ou não executados. SE o resultado da
condição for “TRUE” (verdadeiro), então as instruções referentes serão executadas, caso
contrário, quando o resultado da condição for “FALSE” (falso), os comandos referentes ao
comando (“Se”) não serão executados.

O comando permite ainda opcionalmente (não é obrigatório seu uso) colocar comandos que
somente serão executados se a condição for falsa (“FALSE”). Estes comandos deverão ser
escritos após o comando de SENÃO.

Em nenhuma hipótese comandos relativos ao SE … ENTÃO e ao SENÃO serão executados
juntos. Um automaticamente exclui o outro, ou seja, caso a linha de execução siga pelo
“se … então”, ela não poderá passar pelo “senão” e caso siga pelo “senão” ela não poderá
passar pelo “se … então”.

Em ambos os casos de execução poderá existir apenas 1 comando ou um bloco de comandos
dentro das opções de condição verdadeira ou falsa. Um bloco de comandos, consiste de um
conjunto de comandos envolto pelo par “Inicio . . . Fim”. Uma função é delimitada em um
bloco de comandos, o programa principal também é delimitado em um bloco de comandos,
entre outros.

Exemplo:

exemplo de if (se)

Na escrita de algoritmos e programas, quando usamos um comando condicional deve-se
escrever o(s) comando(s) referentes a condição ser verdadeira (SE … Então).
Algumas vezes também gostaríamos de fazer algo se a condição for falsa, logo é
necessário o uso do (SENÃO). Sempre usando um deslocamento em relação a coluna inicial
do comando.

É o que se chama de identação ou endenação de comandos (já comentado) que a partir da
inclusão de comandos condicionais passa a ter uma importância ainda maior.
Esse recuo permite uma fácil visualização de quais são os comandos que estão relacionados
a condição e quais os que não estão.

Veja o exemplo com Se e Senão:

Exemplo de se e senão

Exemplo de se e senão.

Como observação final, pode-se ainda frisar, que dentro de um comando condicional simples
(“se Então [senão]”), podemos ter diversos outros comandos condicionais. Isto é
conhecido como “condições aninhadas”.

Veja abaixo IFs alinhados:

se dentro de outro se

Comandos condicionais alinhados.

O recuo (identação) ganha maior importância quando se usa de SEs aninhados,
proporcionando assim que seja facilmente visualizado quais comandos estão
relacionados a quais condições.

<< Voltar ao tópico anterior | Ir para o próximo tópico >>

* Baseado nas Notas de aula do Prof. Marcelo Trindade Rebonatto

Facebook Comments

Posts Relacionados

  • Administrador
  • 393 views
  • 0 comentários
  • 14 de dezembro de 2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir ao topo

© 2016 Infus Soluções em Tecnologia - Todos os Direitos Reservados